Os pulmões

PULMÕES

Nós inspiramos e expiramos cerca de 22.000 vezes por dia.

Os pulmões são órgãos ligados energeticamente na forma como você lida com a vida e o ambiente a sua volta. Pois o ar que abastece o sistema respiratório está diretamente ligado a vida. Você pode ficar alguns dias sem alimento ou até mesmo água, mas sem ar, em minutos seu corpo falece.

Assim, os pulmões refletem nossa capacidade de absorver o que existe ao nosso redor, está ligado ao processo de troca, o quanto você dá e o quanto você recebe.

A saúde pulmonar esta diretamente ligada na habilidade em manter as relações interpessoais, e como você lida com isto.

Vejamos, há dois elementos importantíssimos quando falamos do pulmão: o Ar (elemento ligado a mente) e a Água (elemento ligado as emoções), onde 80% do pulmão é constituído por Água, e para seu bom funcionamento, ele necessita de uma troca de ar adequada, eliminação de resíduos do ar que respiramos.

Logo, temos dois fatores envolvidos: Mente e Emoção em um único órgão!

Na expiração quando retém tudo e não libera. O que acontece? Você guarda com todo “carinho” e cuidado aquele monte de toxinas que deveria deixar ir!

Respirar é fonte de energia vital. É alimento para manter os órgãos em ritmo de trabalho bombeando-os através do oxigênio que percorre por todo o corpo.

A Respiração é o alimento da Alma, ou se preferir, do seu corpo energético mais sutil. Diz para mim! O que acontece quando você fica muito irritado, leva um susto, tem uma emoção muito forte? Fica “sem fôlego”? Perde o ritmo da respiração?

Aí vem aquela pessoa e diz: “Calma, respira fundo.”

Logo, temos que o bom funcionamento da respiração está ligado também as emoções.

Na Metafísica os problemas de pulmões está ligado ao medo de viver e de interagir com os demais a sua volta. A negação da vida dificulta o processo de absorção do oxigênio pelo corpo.

AS DOENÇAS PULMONARES SÃO A MAIOR CAUSA DA MORTE DAS PESSOAS QUE DESISTIRAM DE VIVER E PERDERAM O PRAZER PELA VIDA (neste ponto também pode ocorrer em conjunto problemas no coração, que está ligado ao prazer da vida)

Quem mantém-se aberto a se relacionar e disposto a viver as situações do cotidiano possui pulmões saudáveis.

Diógenes Sales

Estômago – Gastrite

Desequilíbrio mental perante as situações, irritação por não poder controlar as atitudes dos outros e os eventos da vida. A energia não é digerida e se manifesta na região do plexo solar que está vinculado ao medo dentre outros fatores.

A gastrite é uma inflamação no estômago, onde uma variedade enorme de agentes irritantes podem produzir esta inflamação no órgão. Geralmente a pessoa sente azia, queimação do estômago, dificuldade na digestão, alguns casos de gastrite desenvolvem-se para a esofagite ou a úlcera gástrica.

Dentro dos problemas gástricos, a gastrite é um dos primeiros sintomas a se manifestar, logo, é importantíssimo que você assim que sentir algum destes sintomas citados, passe a ter cautela perante as situações triviais da vida, porque toda manifestação fisiológica desequilibrada é oriunda de um estado emocional negativo.

O surgimento da gastrite está associado na metafísica a postura interna do indivíduo de aceitar as situações e emoções do dia a dia, onde ao invés disso, fica discutindo, tentando controlar algo que para ele é incontrolável.

O ser que não digere suas emoções, não aceita, não consegue lidar conscientemente com esta fato de não poder controlar tudo a sua volta do jeito que se quer. E com isso, muitas das vezes acaba por adotar atitudes extremas que o leva a conflitos desnecessários, gerando a raiva interna. Esta raiva que desencadeia o processo criador da gastrite.

Geralmente o indivíduo engole suas emoções, é eloquente em suas expressões, com isso, provoca um aumento da secreção de sucos gástricos, que afetam as paredes do estômago.

Não demonstrar a agressividade ou demonstrá-la de forma descontrolada, provoca estes desequilíbrios internos. Então, o que se deve fazer? Você deve aceitar que você nunca vai controlar tudo o que você quer em sua vida, aprendendo a digerir as situações a sua volta, liberando, perdoando, aceitando e lidando com o que você pode mudar, ao invés de se irritar com o que depende da mudança alheia. Deve-se respeitar o processo de evolução de todos a sua volta; nem todos estão no mesmo ponto, nem todos pensam iguais, e é esta a beleza do ser humano, a diversidade.

Visualizar uma esfera azul na altura do pâncreas, fechar os olhos e começar a inspirar e expirar lentamente, meditando que o ar que entra pelas narinas é um ar azul que vai direto para esta região estomacal e sai pela boca, ajuda a aliviar os sintomas. (este exercício deve ser feito lentamente por pelo menos 10 minutos, em seguida, ingerir água)

 Diógenes Sales